PREFEITURA DE INHAPI

domingo, 25 de junho de 2017

GRANDE OPORTUNIDADE!


Renan Filho garante primeira parcela do reajuste já na folha de junho

RN disse que, se necessário, fará folha suplementar para garantir recomposição salarial

RN disse que, se necessário, fará folha suplementar para garantir recomposição salarialO governador Renan Filho afirmou, nesta sexta-feira (23), que, se necessário, fará uma folha suplementar para garantir a primeira parcela do reajuste salarial dos servidores públicos estaduais. O projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo na semana passada, à Assembleia Legislativa do Estado (ALE), foi aprovado na quinta-feira (22).
 
“Vamos tentar incluir o reajuste. Como é uma questão técnica, se não der tempo de incluir na folhado mês, será feita uma suplementar, só para deixar claro para o servidor que ele vai receber o aumento já no salário do mês de junho, como ficou combinado”, declarou Renan Filho.
 
No dia 13 deste mês, o governador anunciou o reajuste salarial de 6,29% para os servidores públicos estaduais ativos (efetivos e comissionados) e inativos. Conforme o projeto de lei, a recomposição salarial se dará em duas etapas.
 
A primeira estabelece o reajuste de 3,15% a partir da folha do mês de junho. A segunda será de 3,14% para dezembro deste ano, perfazendo o total de 6,29% de recomposição salarial.
 
“Alagoas foi o único Estado no Brasil que deu aumento geral até agora. Um ou outro Estado pode ter dado aumento pontual pra uma ou outra categoria, mas aqui conseguimos dar aumento geral para todos os servidores. Isso é uma grande demonstração de que o Estado está fazendo o dever de casa, no ajustamento das finanças públicas, para garantir avanços ao servidor público, porque, na verdade, é ele que leva a política pública ao cidadão”, concluiu Renan Filho.

POR: Assessoria

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Cordeiro nasce com semelhança humana e assusta moradores


Bastou um cordeiro nascer para que a aparência dele assustasse moradores de Lady Frere, província no Leste da África do Sul. O pequeno tem aparência semelhante a animal e ser humano. Habitantes do vilarejo o consideram um “demônio”, enquanto outros acreditam se tratar de fruto do cruzamento entre uma ovelha e um humano.
Especialistas, no entanto, descartam as crendices e dão explicação científica para o caso. A deformação para o cordeio, que já nasceu morto, é atribuída a uma infecção contraída no início da gestação, segundo disse o Departamento de Desenvolvimento Rural.
“Nós podemos confirmar que não se trata de uma foto falsa, mas que este cordeiro com uma severa deformação nasceu de uma ovelha em Lady Frere nesta semana e, de relance, se assemelha a uma figura humana”, afirmou o diretor dos serviços veterinários, Lubabalo Mrwebi, ao comentar o nascimento.
“Vale ressaltar que uma ovelha tem 28 pares de cromossomos, enquanto os humanos têm 23 pares, o que é importante para dissipar o mito de que uma união de ovo de ovelha e um esperma humano pode levar a um desenvolvimento de uma forma de vida viável”, completou Mrwebi.
Fonte: Jornal de Brasília

O retorno de Washington Luiz ao TJ

Afastado há quase um ano de suas funções no Tribunal de Justiça, o desembargador Washington Luiz já se prepara para voltar a atividade na mais alta corte da justiça alagoana.
A informação segue nos bastidores, porém outros desembargadores já confirmam o retorno do colega, uns comemoram, outros nem tanto.
Washington Luiz foi afastado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 28 de junho de 2016. No mês de dezembro do ano passado o afastamento foi prorrogado até a presente data.
Há quem diga que ele voltará como diz no popular: "com gosto de gás". 

Postado em 21/06/2017 às 17:13 por em Coluna Labafero

MPF denuncia Celso Luiz e mais seis pessoas por desvio de R$ 15 milhões

O Ministério Público Federal (MPF) divulgou, nesta quarta-feira (21), que a  Procuradoria da República no Município de Arapiraca (PRM), denunciou o ex-prefeito do município de Canapi (AL) Celso Luiz Tenório Brandão, o ex-vice-prefeito Genaldo Soares Vieira e outras pessoas pelo desvio de R$ 15 milhões em recursos públicos.
Segundo a denúncia, estão inseridos o ex-secretário municipal de Finanças Carlos Alberto dos Anjos Silva e o ex-secretário municipal de Assuntos Estratégicos Jorge Valença Neves Neto, além de outras três pessoas, pelos crimes de lavagem de dinheiro, desvio de verbas públicas federais e organização criminosa. As denúncias decorrem de um desdobramento da operação “Triângulo das Bermudas”.
O MPF optou por apresentar uma denúncia parcial, considerando que há réus presos e que a complexidade dos fatos demandam mais investigações e análises por parte do órgão ministerial. O órgão registrou a necessidade de manutenção da prisão preventiva de quatro denunciados, pois em liberdade eles poderão atuar para atrapalhar a investigação, como anteriormente ocorreu.
De acordo com as investigações realizadas, há indícios suficientes de que os denunciados foram os responsáveis por, em período pouco maior do que um ano, desviar mais de R$ 15 milhões, considerando apenas as verbas depositadas a partir de precatório pago pela União, sendo que antes desse depósito, muitos recursos já vinham sendo desviados pela organização criminosa denunciada.
O inquérito policial instaurado para apurar irregularidades praticadas pelos gestores do município de Canapi, entre os anos de 2013 e 2016, constatou a utilização irregular de precatórios relacionados a crédito judicial do extinto Fundef, atual Fundeb. Verba federal que deveria ser investida exclusivamente na educação.
Desvio
Os recursos eram transferidos das contas do Fundef/Fundeb para outras contas do município ou diretamente para as de “laranjas”. A partir dessas contas particulares ou da própria conta pública da prefeitura, novas transferências para outras pessoas ou saques em espécie eram realizados. Os “laranjas” eram pessoas humildes e pouco estudo de Canapi e Mata Grande que foram ludibriadas pela quadrilha para lhes ceder o nome, conta bancária e procuração.
Para o MPF, o ex-prefeito Celso Luiz atuou como chefe da organização criminosa enquanto os demais denunciados foram operadores do esquema de desvio dos recursos públicos. Constatou-se que a totalidade dos recursos oriundos de crédito judicial – precatório – depositados nas contas do Fundeb de Canapi foram desviados.
Em 2016, a Justiça bloqueou as contas do município porque constatadas as transferências indevidas de R$ 8.316.763,51, em 2015, e mais RS 2.397.313,50, em 2016, para contas de terceiros. Mas, no final de 2016, o vice-prefeito que assumiu a prefeitura com o afastamento de Celso Luiz desviou o restante das verbas do precatório, quase R$ 6.920.894,46.
Prisões
O MPF também pede a manutenção das prisões preventivas de Celso Luiz, Genaldo Vieira, Carlos Alberto dos Anjos e Jorge Valença. Na visão do procurador, as detenções devem ser mantidas para garantir a ordem econômica e as investigações, tendo em vista que os recursos desviados ainda não foram localizados.
Um vez soltos, os denunciados poderão usufruir desses recursos ocultos, inclusive para facilitar a prática de novos crimes ou mesmo o impedimento da investigação e do processo, bem como no risco de fuga. Ressaltando que o pedido das prisões foi justificado por relatos de tentativa de pagamento de testemunhas e colaboradores da Justiça.
Segundo o procurador da República Carlos Eduardo Raddatz, “não se pode conceber que permaneçam em liberdade criminosos, sobretudo aqueles econômica e politicamente poderosos, que estão em plena prática dos delitos, vale dizer, permanecem ocultando os valores desviados e os utilizando, em detrimento de todos os munícipes de Canapi”.
A ação penal tramita na 11a Vara Federal, em Santana do Ipanema.

Por Ascom MPF 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ex-gerente da Fábrica da Pedra é assassinado durante suposto assalto em Maceió

Aroldo Flavius Cataldi foi encontrado amarrado em baixo de cama; caso aconteceu no Conjunto Salvador Lyra


Um suposto assalto resultou na morte de Aroldo Flavius Cataldi, 46, na madrugada desta quarta-feira (21), em uma residência, localizada no Conjunto Salvador Lyra, no bairro Tabuleiro do Martins, em Maceió.

Aroldo Flavius, que era ex-gerente da Fábrica da Pedra, localizada no município de Delmiro Gouveia, no Sertão de Alagoas, foi encontrado amarrado em baixo de uma cama e estaria apresentando sinais de enforcamento.

Existe a suspeita de que o crime trata-se de um latrocínio, pois, segundo testemunhas, aparelhos eletrônicos e outros objetos sumiram do imóvel, mas o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios.

O Instituto Médico Legal (IML) de Maceió foi acionado para remover o corpo de Aroldo Flavius, que atualmente estava trabalhando como representante comercial da Usina Caetés.
Prisão de suspeito

Horas depois da localização do cadáver, a polícia realizou uma ação durante a manhã, que resultou na prisão de Alexandre da Silva Amorim, 23. Ele é o suspeito de assassinar Aroldo Flavius, durante a madrugada.

Fonte correio Noticia