segunda-feira, 17 de setembro de 2018

ARTIGO: Carreata pró-Bolsonaro é realizada em Canapi levantando polêmicas e contradições em meio à esperança de uma nova conscientização política municipal.

Por: Marcio Martins

Pela primeira vez na história de Canapi, uma carreata política partidária ganhou adesão gratuita de parte da população canapiense, certo que ainda repleta de muita polêmica e contradições ideológicas, de idéias e opiniões a cerca do sentimento de mudança a nível nacional (que sem entrar no mérito da discussão sobre o candidato homenageado), infelizmente não se repete a nível estadual e principalmente municipal, onde a maioria dos que hoje dizem votar em Bolsonaro porque não é corrupto, continuam votando nos corruptos do estado e do município, por vários motivos, porém, também não iremos entrar neste mérito para não fugirmos do contexto do que estamos abordando neste momento.

Por outro lado, é inegável que o movimento político ocorrido neste domingo (16) de alguma forma trata-se de um movimento histórico para o município, uma vez que, esta é a primeira vez que vemos a realização de uma carreata onde os participantes tiram do próprio bolso para participar, comprar camisas, material gráfico e demais despesas do evento, mostrando de fato que estão literalmente “pagando para votar” e não recebendo para tal como infelizmente é o “câncer” que domina as eleições municipais e estaduais. Neste caso, é evidente que o voto em Bolsonaro seja ele merecedor ou não, de fato é um voto consciente partindo do principio da coletividade, ou seja, do voto gratuito, limpo e honesto que não é definido a partir de vantagens individuais, assim como seria e será, com relação aos demais eleitores dos outros candidatos a presidente que também votam em ficha limpa e que fazem campanha gratuita e espontânea.

Agora o que preocupa mesmo é essa aversão ao direito do outro em votar em quem quiser, pois uma coisa é discordar, outra completamente diferente é desrespeitar, agredir, difamar, caluniar e até mesmo debochar de um movimento legítimo e salutar a democracia e principalmente que vai de encontro à corrupta politicagem canapiense, onde também identificamos sérias contradições de boa parte dos que se incomodaram com a movimentação política do último domingo, afinal de contas, quando se viu em Canapi uma carreata financiada pelos próprios participantes em prol de um candidato para que viesse a ser motivo de comparação simplesmente para desmerecer o movimento? E se muitos dizem não entender como alguém pode votar em Bolsonaro por contas das polêmicas declarações do mesmo, porque então seus críticos teriam razão em votar em um corrupto indicado por outro corrupto condenado e preso? E que história é essa que todos que votam em Bolsonaro pensam como ele em tudo, portanto, são iguais a ele? Nesta lógica, faria sentido então dizer que quem vota em corrupto é porque também é corrupto? (eu particularmente entendo que sim e até vou além, pois para mim quem vota em corrupto sabendo que é corrupto, não é vítima, é cúmplice), mas este não é o caso da pergunta comparativa que faço para com a narrativa das críticas contra Bolsonaro, pois sei que muitos discordam que quem vota em corrupto seja corrupto também). Todavia, agora pontuo a maior das contradições dos anti-Bolsonaro, pois como se é contra o “rouba, mas faz” no município, se a nível nacional defendem Lula condenado e preso, porque acreditam que ele fez muito pelo país?

Encerro este artigo, dizendo que embora ache uma completa falta de noção essa “competição” de quem consegue colocar mais ou menos gente em uma carreata política, também vejo como algo salutar à democracia e ao processo de conscientização política do nosso povo, desde é claro, que o movimento marcado para domingo, "apesar dos pesares", também seja espontâneo, sem a participação de políticos e bancado com recursos dos próprios participantes, sem esquecer que comparar aqui no nordeste o número de apoiadores de um cara que governou direta e indiretamente o país por 13 anos, conhecido no Brasil e no mundo todo, com um cara até pouco tempo era completamente desconhecido da população brasileira em especial dos canapienses, é no mínimo algo totalmente desprovido de lógica, mais ainda quando eleitores de Marina e Ciro por exemplo dizem que irão participar só porque não gostam de Bolsonaro, pois ai deveriam então mudar o nome do movimento pró 13 (Haddad e Lula) por Carreata CanapiensesContraBolsonaro. 

Deixo, portanto, uma reflexão da obra IndignAÇÃO válida para todos os eleitores deste país, idenpendemente de quem tenham escolhido para votar e levantar a bandeira.

Corrupto eleitor

“A hipocrisia do corrupto eleitor brasileiro não tem limites; por todo país quanto mais o político é ladrão, mais querido é pelo que nele vota, vendendo, trocando ou negociando o voto da maneira mais descarada possível; para estes “pilantras” o que vale apena mesmo é a esmola do candidato ou a promessa de emprego ofertada; ditos cidadãos que sabem criticar o político depois de eleito, mas que não olham para o próprio umbigo, se fazem de vítimas das atrocidades cometidas pelo corrupto como se não tivessem culpa alguma de ter dado poder ao “ladrão engravatado” usando de uma individualidade cruel que tem sido responsável por todos os problemas sociais deste país” Autor: Marcio Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário