Faça-nos uma visita!

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Secretaria de Saúde realiza capacitação sobre a doença Leihsmaniose para agentes de endemias

O município de Inhapi em parceria com a secretaria Estadual de saúde, realizou capacitação sobre a doença leishmaniose visceral para agentes de endemias, agentes comunitários de saúde e agentes da vigilância sanitária.
A capacitação tem por objetivo orientar os profissionais da saúde a fim de identificar possíveis casos da doença no município.

O que é Leishmaniose?

A leishmaniose é uma doença infecciosa, porém não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Os parasitas vivem e se multiplicam no interior das células que fazem parte do sistema de defesa do indivíduo, chamadas macrófagos.
De acordo com o infectologista Valdir Amato, a leishmaniose é considerada uma "antropoonoze", ou seja, doença que acomete animais silvestres e eventualmente o homem.
É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.

Tipos

Há dois tipos de leishmaniose:

Leishmaniose tegumentar ou cutânea

A leishmaniose tegumentar caracteriza-se por feridas na pele que se localizam com maior frequência nas partes descobertas do corpo. Tardiamente, podem surgir feridas nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Essa forma de leishmaniose é conhecida como "ferida brava".

Leishmaniose visceral ou calazar

A leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, pois, acomete vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose acomete essencialmente crianças de até dez anos, após esta idade se torna menos frequente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário