quarta-feira, 4 de março de 2015

Comerciante encontra preservativo dentro de garrafa de refrigerante em Delmiro Gouveia

Descoberta teria acontecido durante vistoria de rotina nas prateleiras e congeladores de um supermercado.
Divulgação/Facebook
Um preservativo foi encontrado dentro de uma garrafa de refrigerante, nesta terça-feira (3), no supermercado A Paulistinha, situado na Avenida Presidente Castelo Branco, centro da cidade de Delmiro Gouveia. A descoberta foi realizada pelo empresário André Rodrigo, proprietário do estabelecimento comercial.

O comerciante relata que estava fazendo uma vistoria de rotina nas prateleiras e nos congeladores do supermercado, quando se deparou com uma embalagem intacta de preservativo masculino dentro de uma garrafa de um litro de refrigerante da marca Coca-Cola.
André Rodrigo diz que não sabe como a “camisinha” foi parar no interior do recipiente de vidro, já que estava lacrado da mesma maneira que foi entregue pelo distribuidor. O mesmo acredita que o objeto tenha sido colocado dentro da garrafa durante o processo de produção da mercadoria.

Depois da propagação do ocorrido nos veículos de comunicação do município, representantes da Coca-Cola teriam indo até o estabelecimento para recolher a garrafa e levar para análise da empresa, mas o empresário que havia realizado a descoberta não teria permitido, alegando que o produto iria servir de prova em um processo que ele pretende mover contra o fabricante.

Outros casos
No Brasil, outras pessoas também relataram ter encontrado objetos e até insetos dentro dos recipientes do refrigerante Coca-Cola. Um caso semelhante ao de Delmiro Gouveia aconteceu no Paraná, onde o cabelereiro Marilto Cavalheiro relatou ter encontrado um preservativo dentro de uma latinha de 350 ml do referido refrigerante.

A reportagem tentou contato com o Centro de Distribuição da Coca-Cola, localizado em Olho D’água das Flores, mas não obteve sucesso.

Fonte: Minuto Sertão

Um comentário:

  1. realmente tem que se fazer uma denuncia, isso é um absurdo vai acarretar problema ao mercadinho, isso ñ é o primeiro caso

    ResponderExcluir