terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Coordenação do Projeto Casa Solidária usa Lei Municipal para garantir reforma pela prefeitura de moradia sob risco de desabamento em Canapi.

Acionada pelo projeto Secretaria Municipal de Assistência Social fará visita a família  junto com arquiteta e secretário de obras. Caso veio a tona após um vídeo do radialista Quiel Freitas que iniciou uma campanha nas redes sociais.

Por: Marcio Martins
Créditos: Quiel Freitas

O radialista Quiel Freitas publicou em suas redes sociais nesta segunda-feira (14) um vídeo comovente envolvendo uma das personalidades mais conhecidas de Canapi por suas participações artísticas no Tradicional Show de Calouros da cidade realizado anualmente sempre no me de Março.

No vídeo o radialista retrata as péssimas condições de moradia da cantora amadora ELIANE após um incêndio que agravou a estrutura de sua casa onde mora com um filho pequeno, sob risco eminente de desabamento.

Assim que foi as redes, o vídeo foi bastante compartilhado, e acabou chegando ao conhecimento da coordenação do Projeto Casa Solidária – um projeto social que funciona com doações voluntárias de serviços, produtos e recursos financeiros destinados a substituição de casas de taipa por de alvenaria. Ao tomar conhecimento do caso, embora as condições de moradia da família vítima do incêndio não se encaixasse nos critérios do projeto a equipe do Casa Solidária não poupou esforços para unir forças com o radialista Quiel Freitas em prol da reforma da casa da cantora canapiense, só que desta vez buscando na LEI a garantia do sagrado direito a MORADIA. E para fazer valer este direito, a coordenação do projeto Casa Solidária usou uma Lei Municipal nº 155 aprovada em Dezembro de 2017 que INSTITUI O PROGRAMA ASSISTENCIAL DE RECUPERAÇÃO DE MORADIAS DE FAMÍLIAS CARENTES NO MUNICIPIO DE CANAPI E DA OUTRAS PROVIDÊNCIAS. 

Vale destacar que ao tomar conhecimento do caso via coordenação do projeto Casa Solidária, a Secretaria Municipal de Assistência Social se colocou totalmente a disposição de dá andamento ao processo de recuperação da moradia se comprometendo a enviar ainda esta semana, uma equipe composta por engenheiro, arquiteto, assistente sociais e o secretário de obras, para avaliar as condições da moradia.

É bom lembrar que mesmo com a inclusão da família no projeto, será aberto todo um processo burocrático com devidamente manda a lei para o início das obras caso o laudo dos técnicos responsáveis atestem a necessidade real da reforma e se a família se encaixa nos critérios do programa. Por esse motivo a campanha nas redes sociais continua, até segunda ordem, uma vez que a própria prefeitura pode estabelecer uma parceria público/privada para recebimentos de doações que agreguem aos custos totais da reforma.