segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Vídeo: Jovem de Inhapi sofre queimaduras de 3° grau ao ficar por baixo de veículo após atropelamento em São Paulo.

Vídeo mostra o momento em que o jovem é atropelado na calçada por uma motorista aparentemente embriagada próximo ao aeroporto de Congonhas. Caso foi registrado no último dia 10/01 por câmeras de seguranças da rua.
Por: Redação

O Jovem Juan Kawe Melo de Brito de 23 anos, filho da inhapiense Cida Melo, hoje residente em São Paulo, foi vítima na noite do último dia 10/01 da irresponsabilidade de uma motorista cujo a identifidade não foi revelada e de seu acompanhante um piloto de avião conhecido por Giuliam, proprietário de um carro Hyundai/Tucson GLSB, de cor prata, placa FTP O477, que passou por cima do jovem na calçada de uma rua próxima ao Aeroporto de Congonhas. Aparentemente embriagada a motorista teria perdido o controle do veículo avançando sobre a calçada e atropelando o rapaz, o qual ficou preso por baixo do veículo que parou após colidir em uma árvore. Sem poder dá ré podendo agravar a integridade física da vítima, o proprietário do  carro ainda chegou a fazer uso da manobra, até que várias pessoas que passavam pelo local pararam para erguer o veículo e retirar o rapaz que estava literalmente "fritando" embaixo do veículo. Juan foi socorrido às pressas em um carro particular para um hospital da região onde recebeu os primeiros atendimentos, porém, devido a gravidade dos ferimentos provenientes de queimaduras de 3° grau, o jovem foi encaminhado para uma clínica particular, porém, 11 dias depois ainda não passou por nenhum procedimento cirúrgico, haja vista que o mesmo precisa passar por um procedimento de enxerto das partes afetadas que sua mãe está tentando na Santa Casa de Misericórdia, tudo isso porque o proprietário do veículo que acidentou o jovem inhapiense não tem dado arcado com nenhum custo financeiro referente a recuperação da mesmo. Agora, com a divulgação desta matéria e do vídeo do momento do atropelamento, a família espera que a Justiça tome providências e a motorista e o proprietário do veículo sejam devidamente punidos pelos seus atos de irresponsabilidade que por muito pouco não tirou a vida do jovem.