Faça-nos uma visita!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Câmara Municipal de Mata Grande dará posse à suplente com apenas 24 votos e deve pagar 17 vereadores a partir de Janeiro de 2019.


Após o recente afastamento de mais 03 vereadores pela Justiça acusados pelo MPE/AL de participação em um suposto “mensalinho” da prefeitura, apenas 05 dos 11 eleitos nas últimas eleições permanecem no cargo, porém, todos os afastados continuam recebendo seus proventos até o julgamento do processo.

Por: Marcio Martins com Jelielson Batista
Créditos: Divulgação/TSE

Depois de já ter empossado três suplentes, entre eles um com apenas 33 votos após o afastamento de 03 vereadores em Dezembro/2017 acusados pelo MPE de participação em um suposto “mensalinho” da prefeitura, a Câmara Municipal de Veadores de Mata Grande/AL, deve empossar mais 03 suplentes, um deles com apenas 24 votos, isso graças ao afastamento de mais 03 vereadores também envolvidos no suposto esquema.

Desta vez os afastados foram os vereadores; José Jorge Malta Amaral (Zé Jorge), George Angeles Cavalcante e Dalvino Orlando, que serão substituídos respectivamente pelos suplentes; Tony Lima (MDB), Vavazinho (PP) e Vânio de Pedoca. Entre os três futuros vereadores que se preparam para tomar posse em sessão extraordinária da Câmara de Vereadores que deve ocorrer ainda esse ano, o que mais chama atenção é a pífia votação de um dos suplentes prestes a se tornar vereador. Estamos falando do suplente Vavazinho do (PP) que com apenas 24 votos deve assumir a cadeira que era ocupada pelo então vereador afastado Dalvino Orlando, já os suplentes Tony Lima (MDB) e Vânio de Pedoca (DC) obtiveram respectivamente 378 e 376 votos.

Outro fato que chama bastante atenção e até causa revolta em muita gente é o fato que uma vez empossados os novos suplentes, a Câmara Municipal de Veadores de Mata Grande composta por 11 vereadores e que hoje paga por 14, passará a pagar a partir de Janeiro/2019, 17 vereadores, uma vez que os 06 vereadores afastados continuarão recebendo seus vencimentos até o julgamento se retornam aos cargos ou se terão seus mandatos cassados. Vale destacar que dos 11 vereadores eleitos em Outubro/2016 apenas 05 continuam exercendo o mandato na Câmara.


Em contato com o presidente da Câmara Rodolfo Isidoro, procurado para comentar o assunto, o mesmo disse que a posse dos novos suplentes sacrificará ainda mais a gestão do legislativo e que a única coisa a ser feita neste momento é aguardar quando tempo irá durar tudo isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário