terça-feira, 11 de março de 2014

Presidiário acusado de homicídio em Dois Riachos é morto a tiros em Delmiro Gouveia

Crime aconteceu na Rua Joaquim Correia e Silva, no centro da cidade.
 
Ítallo Timóteo
O catador de papelão Carlos Alberto Ferreira da Silva, conhecido como “Carlinhos”, 39, foi assassinado com vários disparos de arma de fogo, no início da noite desta segunda-feira (10), por volta das 18h30, na Rua Prefeito Joaquim Correia e Silva, no centro da cidade de Delmiro Gouveia.

De acordo com relato de testemunhas, a vítima voltava para casa e caminhava pela rua na companhia do filho, um adolescente de 13 anos idade, quando foi surpreendido por duas pessoas em uma motocicleta, que o atingiram com dois tiros na cabeça. A vítima morreu na hora e o menor que estava com ela não se feriu.

Populares acionaram a polícia que esteve no local para os primeiros levantamentos. O corpo foi removido pela Guarda Municipal e levado para o necrotério do hospital Antenor Serpa, de onde será recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca.

O delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti, titular da Delegacia Regional de Polícia (1ª DRP), adiantou para a reportagem do Minuto Sertão que “Carlinhos” tinha sido condenado a oito anos e dois meses de prisão, em regime fechado, pelo assassinato do agricultor Expedito Pedro Balbino, 57, morto em 1997 no município de Dois Riachos. Cavalcanti acredita que o homicídio esteja relacionado a vingança.  

Carlos Alberto teve prisão decretada pela comarca de Cacimbinhas no mesmo ano do crime e desde então conseguiu ficar 14 anos foragido da justiça, mesmo sendo procurado pela polícia em pelo menos quatro estados. “Carlinhos” não fugiu para longe, conforme o relato dele próprio, que conta que durante este período residiu no município de Pão de Açúcar, onde se identificava com nome falso. O criminoso teve que fugir desse município por ter tido problemas com a polícia local.

Desde então, o assassino confesso de Expedito Balbino passou a residir em Delmiro Gouveia, onde trabalhava como catador de papelão. De acordo com a polícia, “Carlinhos” sempre andava barbudo para se tornar irreconhecível. Mas, com a ajuda dos próprios familiares da vítima, a polícia conseguiu prendê-lo no dia 28 de março de 2011, quando foi levado para delegacia e lá acabou confessando o crime, confissão esta que foi gravada em vídeo mostrado com exclusividade pelo Minuto Sertão.

O crime
O agricultor Expedito Pedro Balbino, 57, foi morto na noite do dia 19 de fevereiro de 1997, próximo ao curral do gado, no município de Dois Riachos. Segundo o inquérito policial, o agricultor foi atingido por golpes de instrumento corto-contundente, causando sua morte em consequência de traumatismo crânio-encefálico fechado.

O crime cometido de forma brutal chocou a população naquela época, onde Carlos Alberto, o “Carlinhos”, que tinha 23 anos, foi arrolado como o principal suspeito do assassinato. O jovem foi acusado de premeditar o crime para roubar do senhor Expedito um relógio e parte do dinheiro da venda de dois bois da vítima.

De acordo com filhos de Expedito, o acusado tinha amizade com a família e, no dia do crime, teria convidado o agricultor para beber juntos em um bar. Segundo testemunhas, o criminoso, teria se aproveitado da indefesa da vítima, devido ele está embriagado, e cometeu o assassinato, quando ambos voltavam para suas residências.

No dia seguinte, “Carlinhos” foi avisado que um senhor havia sido encontrado morto próximo ao curral do gado. Fingindo está surpreso com a informação, ele ainda teria ido até o local para observar o corpo do homem que ele próprio teria assassinado.

Quando soube que era o principal suspeito do crime, o mesmo teria foragido daquela cidade.
Por Ítallo Timóteo e Jota Silva 
FONTE; MINUTO SERTÃO 


Nenhum comentário:

Postar um comentário