sábado, 29 de março de 2014

Suspeito de ser matador de policiais e outras três pessoas são detidas em Piranhas

Detenções aconteceram em um bar, embaixo da ponte que liga Alagoas a Sergipe.
Uma denúncia anônima recebida pela 2ª Seção de Inteligência do Comando de Policiamento de Área do Interior (CPAI-1) ajudou a Polícia Militar em Piranhas a deter quatro pessoas, na tarde desta sexta-feira (28), por volta das 14h. Os detidos são José Milton Pereira Lima, 42; Manoel Messias dos Santos, 22; José Wendel da Silva, 22; e Leandro Lima da Silva.

Segundo o Capitão Winston Santana, comandante da 2ª Seção do CPAI-1 e da Companhia de Operações Policiais Especiais do Sertão (Copes/Caatinga), o setor de inteligência da PM recebeu a informação de que quatro homens estariam em atitude suspeita em um bar que fica embaixo da ponte que liga Piranhas a Canindé de São Francisco.

Policiais da Copes/Caatinga em conjunto com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope/Maceió) e do Pelotão de Operações Especiais (Pelopes/Arapiraca), equipes que estão no município para apoiar a implantação da nova companhia militar, foram até a localidade para averiguar a ocorrência.

De acordo com o Capitão, ao perceber as viaturas da polícia, os suspeitos tentaram se evadir do local em um carro Fiat Uno, de cor branca e placa IEZ-5976/Mata Grande-AL, mas foram interceptados. Durantes as abordagens, os homens não reagiram e foram todos conduzidos para a delegacia distrital para averiguação.

Na cadeia, foi descoberto que José Milton é mecânico e natural de Santana do Ipanema. O mesmo estava dirigindo o carro e não possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Manoel Messias se declara como servente de pedreiro e nasceu em Piranhas. Este estava em liberdade condicional pelo crime de tentativa de homicídio.

Além desses dois, foi levantando que José Wendel é natural de Paulo Afonso-BA e já foi preso por tráfico de drogas. O que chamou a atenção da polícia é que esse criminoso tem três palhaços tatuados no corpo, o que no mundo da criminalidade significa que o tatuado é matador de policiais. O mesmo nega que já tenha executado algum policial.

Quanto ao jovem Leandro Lima, também natural de Paulo Afonso, nenhum crime em seu nome foi encontrado no sistema policial. Todos os suspeitos foram ouvidos pelo delegado distrital, Diogo Ferreira, que até a publicação dessa reportagem não havia divulgado qual procedimento iria adotar contra os detidos.
F0NTE E FOTOS MINUTO SERTAO 

Nenhum comentário:

Postar um comentário