PREFEITURA DE INHAPI

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Sem aprovação do orçamento prefeito de Inhapi diz que município vai parar e culpa vereadores pelo problema.

Em sessão secreta 09 dos 11 vereadores teriam decidido entrar em recesso sem votar o orçamento, impossibilitando a atual gestão de administrar o município e receber possíveis recursos provenientes de recursos federais.

Por: Redação
Crédito: Ascom/Inhapi-AL

O município de Inhapi pode parar! Esta foi à afirmação feita pelo prefeito Zé Cicero na tarde desta terça-feira (26) durante a solenidade de entrega de dezenas de cadeiras de rodas a pessoas com deficiências residentes no município e repetida na tarde desta quarta-feira (27) em entrevista ao Programa Radar da Rádio Delmiro-FM.

De acordo com o gestor 09 dos 11 vereadores decidiram entrar em recesso sem colocar em votação o orçamento municipal para 2017 a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias estimada em 50 milhões de reais, o que deixa o município numa situação bastante critica, visto que sem a aprovação do orçamento os serviços públicos de atendimento a população deixam de ser prestados justamente por falta de recursos. Ainda segundo o prefeito, a atitude dos vereadores foi inconstitucional, uma vez que a Câmara jamais poderia ter entrado em recesso sem a aprovação da LDO e que por esse motivo estará acionando a justiça para que a população não “pague a conta”.

Visivelmente revoltado com os Vereadores, o prefeito Zé Cicero revelou em seu pronunciamento que do ultimo repasse do município a Câmara, cada vereador recebeu 3.500,00 de salário, mais 1.500,00 de verba de gabinete, totalizando 5.000,00 e que ainda assim houve uma sobra de 60.000,00 do duodécimo que não se sabe onde fora investido.

Dada a declaração do prefeito Zé Cicero, a redação deste blog tentou entrar em contato com o presidente da Câmara mais seu telefone estava indisponível ou fora da área de cobertura, contudo, não ficamos sem resposta as acusações feitas pelo gestor a Câmara, visto que de acordo com o vereador Valter de Elias a LDO está completamente errada, que não foi posta em votação simplesmente porque o prefeito não havia mandado nenhum balancete informando como foram gastos os recursos do orçamento anterior aprovado em 45 milhões de reais e que houve redução no duodécimo da Câmara, o que inviabilizaria o aumento proposto de 5 milhões de reais a mais para este ano no orçamento. Segundo o vereador, a Câmara entendeu que se a receita caiu o orçamento também deveria cair. Mas apesar de toda essa polêmica, que por sinal não é a primeira e muito menos a segunda desde que o prefeito Zé Cicero tomou posse no dia 1º de Janeiro de 2013, os vereadores devem fazer uma sessão extraordinária na manhã desta quinta-feira (28) para finalmente votar a LDO, contudo, não deixou de antecipar que serão apresentadas emendas a proposta apresentada pelo executivo municipal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário