segunda-feira, 9 de julho de 2018

Ascom/Mata Grande contesta matéria do site Central do Sertão.

Redação do site também se pronunciou sobre o conteúdo da nota.

Por: Ascom/Mata Grande-AL

Causou estranheza à equipe de Comunicação da Prefeitura de Mata Grande o conteúdo da matéria divulgada pela Redação do site Central do Sertão, apontando, sem consulta prévia, a questão ambiental e a coleta de lixo realizada pela Secretaria de Obras e Urbanismo do município.

​A coleta e o descarte de lixo em Mata Grande vêm acontecendo de forma regular, contemplando as localidades das zonas urbana e rural do município atendendo ao que ficou determinado pelo Ministério Público Estadual após o encerramento definitivo dos Lixões.

​De fato, a Secretaria de Agricultura do município esteve na manhã do dia 5/7, como já previsto anteriormente, acompanhando o Mutirão de Fiscalização na área de APP por determinação do MPE em ação rotineira que se refere à verificação da construção obrigatória de Fossas Ecológicas no local da APP. A operação foi efetuada pelo IMA (Instituto de Meio Ambiente) e BPA (Batalhão de Polícia Ambiental) com acompanhamento da Diretoria Municipal de Meio Ambiente e corpo Jurídico da Prefeitura.

​Nesta área de APP, há moradores que, por falta de esclarecimentos, chega a descartar o lixo proveniente de suas casas aleatoriamente, o que é imediatamente corrigido pela equipe de Obras e Urbanismo do município que, ao constatar o fato, o recolhe imediatamente. Os fiscais do IMA presentes na ação fizeram um trabalho de conscientização aos moradores  lhes transmitindo orientações importantes sobre o descarte correto do lixo doméstico.

​Ao assumir o compromisso junto ao MPE pelo fim dos Lixões, o Prefeito Erivaldo Mandu assumiu, principalmente, um compromisso velado com os cidadãos matagrandenses. A proposta é melhorar a qualidade de vida dos moradores e, por conseguinte, colaborar significativamente com a promoção de Saúde com a atuação intensa dos técnicos em Atenção Básica.

​Dar destino correto ao Lixo, proteger as áreas de preservação ambiental e mananciais é dever do município – e este vem sendo rigorosamente cumprido com as determinações do Prefeito Erivaldo Mandu e o engajamento das equipes envolvidas no processo que, antes de qualquer outra coisa, trabalham em prol do povo de Mata Grande.

​Esclarecidos os fatos, espera-se, nestes casos que, antes de publicar este tipo de matéria, os setores competentes sejam consultados para que os fatos sejam constatados com veracidade. Pelo menos é isto que a Ascom Mata Grande entende como jornalismo sério, que tem por objetivo informar fatos com sua veracidade comprovada.

​A Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Mata Grande coloca-se à disposição para informar sobre as ações desenvolvidas pelo Governo Municipal.

Mata Grande (AL), 08 de julho de 2018.

Esclarecimento
Por: Redação/Central do Sertão

"Nesta área de APP, há moradores que, por falta de esclarecimentos, chega a descartar o lixo proveniente de suas casas aleatoriamente, o que é imediatamente corrigido pela equipe de Obras e Urbanismo do município que, ao constatar o fato, o recolhe imediatamente". (Ascom/Mata Grande)

Conforme pode ser observado neste trecho do texto destacado acima enviado pela Assessoria de Comunicação do município de Mata Grande a esta redação pedindo direito de resposta por não concordar com uma recente matéria postada no site Central do Sertão, fica evidenciado que seu conteúdo retrata justamente o que nossa equipe de redação constatou e divulgou no último dia 06 de Julho sobre o descarte irregular do lixo na zona rural do município de Mata Grande, mais precisamente no povoado Santa Cruz do Deserto, conforme pode ser comprovado no link a seguir em destaque. (Após fiscalização do IMA, prefeitura manda limpar área pública onde estava havendo descarte irregular de lixo na zona rural de Mata Grande). Ou seja, de fato alguns moradores do povoado estariam descartando o lixo em local inapropriado. A divergência porém, entre o relatado na matéria e o justificado pela Ascom, se deu uma vez que na matéria postada no site, esse descarte irregular se daria porque segundo alguns moradores a coleta feita pela prefeitura não estaria ocorrendo de forma regular. Já segundo a prefeitura representada aqui pela Ascom, esse descarte irregular seria mera "falta de esclarecimento" dos moradores que estariam descartando o lixo aleatoriamente. E é neste ponto que ocorre um impasse, já que segundo alguns moradores que descartaram o lixo irregularmente, a responsabilidade, ou melhor, irresponsabilidade seria da prefeitura pelos motivos aqui já expostos, porém, segundo a prefeitura a "(ir)reponsabilidade" seria dos próprios moradores.

Em resumo, em momento algum esta redação divulgou qualquer inverdade sobre o problema aqui relatado, ao tempo em que entende que de fato faltou na matéria a versão dos fatos pela prefeitura, porém, não por falta de consulta a mesma como também mencionado pela Ascom, uma vez que antes da publicação da matéria, entramos em contato com a Secretaria de Obras e Urbanismo do Município que foi responsável pela limpeza do local, porém, o telefone estava indisponível, conforme relatada na própria matéria e aqui destacado: Em busca por respostas, tentamos entrar em contato com a Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo responsável pela limpeza do local, porém, não obtivemos sucesso (Central do Sertão).

Por fim, entendemos ser muito pretensioso o discurso da Ascom em querer imputar como a imprensa deve gerir seu trabalho quando este contrariar os interesses de seu contratante, se colocando diante desta redação com as seguintes palavras: Esclarecidos os fatos, espera-se, nestes casos que, antes de publicar este tipo de matéria, os setores competentes sejam consultados para que os fatos sejam constatados com veracidade. Pelo menos é isto que a Ascom Mata Grande entende como jornalismo sério, que tem por objetivo informar fatos com sua veracidade comprovada (Ascom/Mata Grande).

Afinal de contas, de que veracidade fala a Ascom se de fato o lixo estava sendo descartado em local inapropriado? E que culpa tem os redatores do site se o telefone do setor responsável e não dá Ascom, não estava disponível? Até porque a matéria em momento algum seria modificada, exceto com o que seria acrescentado dada a versão da secretaria caso houvéssemos conseguido contato.

Sem mas para o momento, reforçamos nosso compromisso com a verdade dos fatos doa a quem doer, tal como com o espírito democrático e harmônico entre a imprensa e o Poder Público, de modo a evitar situações constrangedoras semelhantes, que não somam em nada a credibilidade jornalistica tanto de quem publica as notícias, quanto de quem faz assessoria.

Att;
Redação 






Nenhum comentário:

Postar um comentário