sexta-feira, 6 de julho de 2018

Futebol e política tudo a ver, mas só você não vê...


Por: Marcio Martins

É claro que perdendo ou ganhando continuamos brasileiros, continuamos fãs do nosso futebol, porém, é preciso compreender que ficar chateado com mais essa eliminação precoce da seleção na copa é algo absolutamente normal, assim como é normal a crítica ao time e a alguns jogadores em específico. Sabe por quê? Por que há muito tempo nossos “representantes em campo” deixaram de jogar por amor ao país. Hoje futebol é uma “industria” bilionária do grande capital, onde o único intuito de quem joga e principalmente de quem atua nos bastidores é garantir a valorização do passe dos seus atletas pela incrível visibilidade que uma copa oferece ao esporte por todo o planeta. Deste modo, enquanto muitos torcedores tratam uma eliminação como à de hoje como se fosse uma tragédia, assim como chegam a ficar irritados com quem critica ou faz zoação da seleção, Neymar (por exemplo) deve ta muito preocupado com as criticas recebidas nesta copa (...sqn), pois enquanto nós “meros mortais” estaremos retornando a nosso rotina normal contando centavos para pagar as contas, na conta dele entra por segundo o que não ganhamos num mês inteiro de trabalho.

E mais... Ficar irritado com quem é brasileiro assim como eu e você por não está nem ai para essa eliminação ou com quem “tira onda” da seleção criticando jogador A, B ou o time por completo, só comparo com os eleitores de um prefeito que não faz nada pelo seu município e quando é criticado por quem está insatisfeito, logo é defendido pelos “xumbetas” como se o mesmo não pudesse receber criticas.

Portanto, da mesma forma que podemos torcer e vibrar com um título, podemos cobrar, criticar e ficar chateados com a derrota e com a falta de empenho dos nossos jogadores. Afinal de contas, não é por conta do futebol que esse país irá afundar, mas pela falta de importância que não damos a política como damos ao futebol. E isso não significa que uma coisa anula a outra, pois podemos muito bem separar as duas coisas. Agora, parar o país por conta do futebol quando não se para contra a corrupção, com certeza é o fundo do poço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário