10/06/2024

| EXCLUSIVO! I Acobertado pela leniência da justiça, esquema de servidores fantasmas da Prefeitura de Canapi continuou em 2023 apesar das denúncias.


Projeto de poder envolvendo prefeito, vice-prefeito e vereadores foi denunciado em Julho do respectivo ano pelo sindicato da categoria, mas a farra continuou até Dezembro com a contratação de mais 467 servidores temporários, muitos recebendo sem trabalhar, até mesmo em São Paulo e na Argentina. Prejuízo estimado aos cofres da educação pode chegar aos R$: 30 milhões de reais.

Por Redação 

O ano era 2023 e o Sindicato dos Servidores Públicos de Canapi após várias tentativas de ter acesso a folha de pagamento da educação, que deveria constar no Portal da Transparência Municipal, finalmente teve acesso graças a mediação da Promotoria de Justiça da Comarca de Mata Grande. E para não surpresa de todos, ali era descoberto um verdadeiro escândalo de corrupção com o dinheiro público, que segundo o sindicato, gerou um prejuízo de R$: 22 milhões de reais com pagamento a servidores fantasmas, nepotismo e suspeitas de rachadinha, o que levou a Diretoria Executiva do sindicato a protocolar denúncia em pelo menos 07 órgãos de fiscalização, controle e justiça, incluindo a Polícia Federal e o Ministério Público Estadual. 

O esquema acabou ganhando repercussão nacional através de uma reportagem do Jornalista Investigativo Wadson Correia que esteve na cidade a procura de alguns fantasmas e acabou encontrando, não em seus locais de trabalho, afinal de contas, eram servidores fantasmas, mas sim em suas casa e ou em seus verdadeiros locais de trabalho, tais como; na roça, em um posto de gasolina e em um bar. E teve também aqueles que não foram localizados, mas que os pais confessaram que realmente estavam lotados na prefeitura, apesar de negarem que os filhos seriam funcionários fantasmas.

Também não foram localizados outros dois servidores alvos da denúncia, ou melhor, foram! Porém, não foi possível contato já que um reside em São Paulo e outro, ou melhor, outra, na Argentina, uma espécie e funcionária fantasma internacional.

Apesar da gravidade da denúncia e do robusto lastro probatório, nenhuma ação efetiva foi tomada pelos órgãos competentes de modo a cessar a farra com o dinheiro da educação e o projeto de poder do prefeito de fato do município, o ex-prefeito José Hermes de Lima (pai do atual prefeito), condenado por desvios de recursos da merenda escolar quando prefeito da cidade entre 2005 e 2012. Resultado! Os fantasmas continuaram recebendo e a gestão ainda ampliou em 467 o número de contratos que em Maio/2023 (ultima folha de pagamento anexada a denúncia) era de 1.871 fechando em 2.338 em Dezembro/2023, conforme demonstram os prints a seguir da página do SIOPE do FNDE órgão do Ministério da Educação e o link para informações mais detalhadas, nome por nome, ano a ano, mês a mês. Prejuízo estimado aos cofres da educação pode chegar aos R$: 30 milhões de reais.

Clique Aqui: SIOPE/FNDE






27/05/2024

| VÍDEO | Paciente denuncia superlotação, falta de maca e cadeiras de rodas no Hospital Regional de Santana do Ipanema/AL.

 

No momento da gravação, um idoso dava entrada no hospital carregado pelos braços.

Por Redação 

Circula nas redes sociais um vídeo gravado por um paciente no Hospital Regional Dr. Clodolfo Rodrigues de Melo em Santana do Ipanema no sertão de Alagoas, o qual evidencia a superlotação e segundo o autor do vídeo, a falta de maca e de cadeira de rodas.

No momento da gravação, um idoso dava entrada no hospital carregado pelos braços. 

"Aqui oh! Hoje segunda-feira, olha o hospital de Santana como é que tá. Não tem uma maca nem uma cadeira para a população. Chegou agora um senhor de 90 e poucos anos, não tem uma maca e nem uma cadeira. Hoje segunda-feira, dia 27 de Maio de 2024. Tá aqui! Um monte de gente e não tem maca e nem cadeira de rodas para atender um senhor que chegou de 93 anos agora de uma queda", desabafou o cidadão.

"Esse é o resultado do Hospital de Santana do Ipanema", concluiu.

Durante a fala do autor do vídeo, é possível ouvir outra pessoa incentivar a gravação e a denúncia... "Aê! denuncia mesmo!", disse um dos pacientes que aguardavam atendimento médico.

Nossa equipe de redação tentou contato com a direção do hospital, mas o telefone estava indisponível. Até o fechamento desta matéria, não havia nenhum posicionamento do hospital sobre o caso.

| INAJÁ/PE | Após decretar situação de emergência no município, prefeito pretendia gastar R$: 3,2 milhões de reais somente com estrutura de festa.

 


Justiça mandou suspender pagamentos sob multa de R$: 05 mil reais por dia de descumprimento em desfavor do prefeito Marcelo de Alberto. 

Por Redação 

Ruas às escuras, escolas abandonadas na zona rural, município em estado de calamidade decretado pelo prefeito e uma festa com uma estrutura milionária montada fora da praça de eventos da cidade. Esse é o cenário que vem causando revolta nos moradores da cidade de Inajá, localizada no sertão do Estado de Pernambuco. 

O município é administrado pelo prefeito Marcelo de Alberto (PSD) que pretende gastar somente com a estrutura de palco e som, mais de R$: 3,2 milhões de reais, apesar de no centro da cidade existir uma praça de eventos feita exclusivamente para esta finalidade.



Todavia, se há quem considere que os problemas relatados no início desta reportagem não sejam graves o suficiente, o que dizer então de um decreto de  situação de emergência em decorrência da estiagem assinado pelo próprio prefeito Marcelo de Alberto no dia 08 de Maio de 2024 e publicado no dia seguinte no Diário Oficial dos Municípios do Estado de Pernambuco? Pois bem; apesar do decreto, o gestor não  poupou na destinação de recursos para a realização das festividades do Padroeiro Santo Antônio, mais especificamente na estrutura para realização do evento. Um gasto quase 5x maior do que os R$: 710 mil reais do extrato publicado para a mesma festa e com a mesma finalidade em 2023.




Por essas e outras razões o Tribunal de Justiça de Pernambuco através da Vara Única da Comarca de Inajá, determinou a suspensão do processo administrativo impugnado e a abstenção de qualquer pagamento pelo município até que seja apreciada integralmente a tutela provisória requerida, sob multa diária de R$: 05 mil reais em desfavor do prefeito Marcelo de Alberto limitado até o valor da contratação se praticado qualquer continuidade do processo administrativo impugnado.



Nossa equipe de redação entrou em contato com a gestão, mas os agentes públicos contactados não quiseram responder aos nossos questionamentos. Também não há nas páginas oficiais da prefeitura nas redes sociais até o fechamento desta reportagem, nenhuma nota sobre a decisão Judicial que mandou suspender o pagamento da estrutura da festa.

19/05/2024

| EXCLUSIVO! | Canapi tem quase 5 mil eleitores a mais que habitantes aptos a votar.


Denuncia é que políticos locais expandiram suas bases transferindo milhares de domicílios eleitorais em troca de vantagens pessoais, incluindo empregos na prefeitura.

Por Redação 

Após o Censo Demográfico/2022 realizado pelo IBGE divulgar que a população de Canapi, município do alto sertão alagoano, reduziu sua população de quase 18 mil habitantes em 2010 para apenas 15.559 habitantes em 2022, a novidade da vez é que o número de eleitores seguiu o 

caminho contrário e aumentou exponencialmente, chegando a 15.201 eleitores aptos a votar, segundo dados oficiais do TSE - Tribunal Superior Eleitoral. 

Em resumo, atualmente , a diferença entre o número de habitantes e o número de eleitores em Canapi/AL é de apenas 358 pessoas. Todavia, quando subtraímos do número total de habitantes, as pessoas menores de 16 anos, ou seja, entre 0 e 15 anos que não estão aptas a votar, a constatação é que Canapi tem aproximadamente 5 mil eleitores a mais que habitantes com 16 anos ou mais.

Mas afinal de contas, onde estão então esses eleitores? A explicação pode está nos municípios e sítios circunvizinhas, onde a classe política tem buscado cada vez mais expandir seu eleitorado transferindo o domicílio eleitoral de milhares de eleitores com a promessa de algum benefício pessoal e até mesmo emprego na prefeitura.




11/05/2024

Sem conhecimento nem amparo legal, oposição persegue funcionários concursados.

De acordo com pesquisa registrada no TRE, Fal que tem  3 vezes a intenção de votos do segundo Lugar Wallysson Firmo tem sido atacada por seus opositores incessantemente, usando de leis caducas ou impertinentes ao tema oposição demonstra despreparado e desespero acusando o recebimento indevido de recursos salariais de funcionários concursados, esquecem que:

Pelo Regime Jurídico do Município, mais precisamente em seu artigo 44, qualquer servidor efetivo, no caso particular da Fal, tem o direito de fazer a opção por qual fonte pagadora receberá seus vencimentos (com todas as suas vantagens),tendo sido opção da servidora pela educação (SEU VÍNCULO EFETIVO).

Por incapacidade ou má fé denunciaram para isso, utilizando-se da na Lei Federal

14.325/2022, que trata da utilização dos recursos extraordinários recebido

pelos Estados, pelo Distrito Federal e pelos Municípios, em decorrência de

decisões judiciais, ou seja verdadeiro samba do crioulo doído, uma vez que uma coisa não tem nada haver com a outra. 

Cabe a reflexão do quanto o despreparo inclusive no aprofundamento do tema se fazia necessário do vereador,  ao usar espaço na casa legislativa, sem antes de acusar e imputar crime inexistente, fazendo-se valer apenas da necessidade de aparecer o fez criando pra isso factoides. 

Importante frisar de que o rateio é uma garantia legal, que tem por base a lei

nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020 (sendo alterada pela Lei nº 14.276/2021, e assim a Fal, sendo professora pública municipal, como já mencionado anteriormente, realizou a opção para receber pela fonte pagadora

a qual é concursada, através do FUNDEB.

Ou seja, o rateio foi realizado a quem é devido! Wallysson Firmo de uma só vez atacou o direito dos vigias, serviçais, merendeiras, motoristas, coordenadores, professores, diretores, monitores, técnicos, auxiliares. Técnicos administrativos e demais funcionários da educação.

Pra que se possa fazer ideia da gravidade e aí responsabilidade praticada pelo vereador Wallysson Firmo, ele atacou diretamente o recebimento de mais de 500 funcionários contratados, efetivos e concursados, na sua sede de poder desenfreada.  

Em mais um ato de falácia, o pré candidato acusou  Fal de receber  salário, 13º e outras verbas, pagas por ela, mas, como esclarecido anteriormente, desconhece o vereador que quem efetua o pagamento dos servidores vinculados à rede municipal de educação, é a própria secretária municipal de educação, ou seja, em momento algum a pré candidata, Fal, enquanto secretária de Finanças, pagou o próprio salário.

E assim Fal segue firme em seu propósito trazendo propostas, discussões e temas pertinentes ao desenvolvimento de Mata Grande enquanto oposição por despreparo, busca a todos custo encontrar uma forma de aparecer, custe o que custar.