26/04/22

Silêncio ensurdecedor da Câmara de Vereadores de Tupanatinga\PE tira o sono dos professores vítimas do descaso da Prefeitura Municipal com a categoria.

 

Base aliada do prefeito na Câmara conta com 08 dos 11 vereadores. Educadores caminham para o 5º mês sem qualquer proposta de reajuste no Piso Salarial Nacional, apesar dos 33,24% autorizados pelo Governo Federal.

Por: Redação\Marcio Martins

Desde o dia que o Presidente da República Jair Messias Bolsonaro autorizou o reajuste de 33,24% sobre o Piso Salarial Nacional do Magistério a partir de Janeiro deste ano (2022), professores de todo o Brasil vivem a expectativa de recompor um pouco do que perderam em seus vencimentos durante o congelamento de salários na pandemia. Acontece que, esse não tem sido o entendimento do Prefeito Silvio Roque do município de Tupanatinga no agreste do Estado de Pernambuco que caminhando para o 5º mês do ano, insiste em não apresentar nenhuma proposta de reajuste aos salários dos professores da rede municipal de ensino. 

Vale salientar que de Janeiro de 2020 a Março de 2022 a inflação ultrapassa 17% corroendo ainda mais o salário dos professores. De acordo com a Profª Cida de Hélio - Presidente do Sindicato dos Servidores Público do Município de Tupanatinga\PE, na última conversa com o Secretário Municipal de Educação para tratar do reajuste, o mesmo teve a ousadia de sugerir que O SINDICATO apresentasse uma proposta, uma vez que, na avaliação da gestão municipal a prefeitura não teria condições financeiras de propor nenhum percentual de reajuste para os professores. Mas o que ele não explicou, foi como seria possível o sindicato apresentar qualquer proposta de reajuste sem ter acesso as despesas pagas com recursos do Fundeb já que o município se quer disponibiliza no seu Portal da Transparência a Folha de Pagamento dos Servidores. 

Já no tocante a alegada falta de condições financeiras, ainda segundo a presidente do sindicato, que recentemente teve sua licença para o exercício da presidência sindical suspenso pela gestão municipal, à mesma gestão que alega não ter condições orçamentárias de conceder o reajuste, é a que tem dividido várias turmas com o objetivo de manter e contratar professores, ao ponto inclusive, de tirar um professor contratado de uma sala de aula para localizar a sindicalista dividindo outra turma de 26 alunos para assim manter o professor contratado com apenas 14 alunos. 

E é diante desse cenário de completo descaso e desvalorização do professor, que a Câmara Municipal de Vereadores cuja uma das principais funções é fiscalizar os atos e omissões do Poder Executivo Municipal tem mantido um “SILÊNCIO ENSURDECEDOR” que tem tirado o sono dos professores tupanatingueses, haja vista que com exceção da vereadora Gilsa (MDB), única a procurar o sindicato para afirmar que só irá votar em um eventual projeto de reajuste se estiver de acordo com a categoria, nenhum outro parlamentar se colocou favorável à luta dos professores pelo reajuste do Piso Salarial Nacional do Magistério. Vale destacar que dos atuais 11 vereadores que integram o Poder Legislativo Municipal, 08 fazem parte da base aliada do Prefeito. 

Todavia, apesar dos pesares, o sindicato esteve na Câmara Municipal parar agendar uma reunião com os vereadores em busca de apoio a luta dos professores pelo que é direito e não favor político de gestor nenhum.

O que diz a Câmara de Vereadores

Através do Jornalista Marcio Martins, a equipe de redação do Site Central do Sertão tentou entrar em contado com a Presidente do Poder Legislativo Municipal Ver. Rayane da Ovelhas (PSB), mas até o fechamento desta matéria, não obtivemos retorno.