11/04/22

Vereador rompe com prefeita e fortalece grupo de oposição em Itaíba\PE.

 

Na dança das cadeiras envolvendo vereadores e suplentes que disputaram as eleições 2020, a oposição mais ganhou do que perdeu apesar da adesão dos vereadores que se aliaram ao governo após a derrota nas urnas.

Com a aproximação das eleições estaduais e para Presidência da República, as movimentações políticas estão se intensificando em Itaíba no agreste de Pernambuco. E a crise na educação pública do município com a greve e os frequentes protestos dos professores pelo reajuste de 33,24% do Piso Salarial Nacional tem pressionado as lideranças políticas locais a escolher de que lado estão, se dos professores ou da Prefeita Regina Cunha (PODE), que há 04 meses vem descumprindo a Lei do Piso, e, que, até aqui não apresentou nenhuma proposta de reajuste para a categoria, muito pelo contrário, enviou foi um PL para a Câmara Municipal de Vereadores incorporando o adicional do “pó de giz” ao salário da categoria sem estabelecer nenhum percentual de reajuste, mas que acabou sendo retirado de pauta para reformulação dias depois após uma comissão do sindicato dos servidores públicos do município provar a gestão que há sim possibilidade da gestão municipal conceder um reajuste digno a categoria sem sacrificar o adicional do pó de giz. 

O apoio do Presidente da Câmara Ver. Eraldo pequeno (PODE), do Diretor Legislativo Jandilson Gomes e de todos os vereadores da casa aos professores, principalmente toda base do governo, abalou o grupo político da Prefeita Regina Cunha, que após a reeleição em Novembro de 2020, conseguiu fortalecer sua base na Câmara com a adesão ao governo dos vereadores Normando de Maciel (PSB), Cláudio do Jirau (PP) e Éssio Tenório (PP), eleitos pelo grupo da oposição, contudo, também viu a oposição se fortalecer fora da Câmara com a saída de várias lideranças locais que disputaram as eleições para o poder legislativo municipal e tiveram boa votação, tais como os suplentes: Junior da Lagoinha (PTB), Ivo do Portão, Sandro da Saúde, Renato Carolina e Victor Martins, que disputaram as eleições pelo PT na chapa da prefeita reeleita, mas que meses depois deixaram o grupo por ingratidão da gestora que segundo um dos suplentes, teria abandonado quem marchou junto com ela para abraçar seus opositores da Câmara. 

Atualmente, a Prefeita Regina Cunha (PODE) contava com o apoio de 08 dos 11 vereadores em sua base de governo (Marcelo Pilota “líder do governo”, Jorge do Cachorro Quente; Lula do Doce; Dindo de Zé de Sérgio; Normando de Marciel; Essio Tenório, Cláudio do Jirau e *Jessé Tenório), talvez por esse motivo, pareceu não se importar com a união dos suplentes do partido que fez parte da sua caminhada a reeleição, fortalecendo assim, o grupo político de oposição na pessoa de Rogéria Martins, irmã do ex-deputado Claudiano Martins e tia do Deputado Claudiano Filho. 

Acontece que, a oposição agora vem ganhando espaço também na Câmara de Vereadores, hoje presidida por um aliado da oposição, o Vereador Eraldo Pequeno, que também foi eleito no grupo da Prefeita, inclusive, pelo mesmo partido, o PODEMOS. 

Além do presidente, o grupo opositor ainda conta com os vereadores: Didias (PSB), Dinha de Jurandi (PP) e o seu mais novo integrante, o vereador Jessé Tenório (PT), que recentemente anunciou o seu rompimento com o grupo político da prefeita e sua adesão ao grupo político de oposição no qual aparece em uma foto abraçado a ex-candidata a prefeita Rogéria Martins. 

Eleito com 496 votos pelo (PT), partido aliado da prefeita Regina Cunha em sua caminhada a reeleição, Jessé Tenório ocupa pela primeira vez uma das cadeiras da Câmara de Vereadores de Itaíba, e vem ganhando notoriedade por suas posições firmes na casa em defesa dos direitos dos professores, fato que ocasionou uma espécie de ciúmes entre seus colegas da base aliada do governo municipal na Câmara ao ponto de ser excluído do grupo de whatsapp pelo líder do governo após a publicação de um vídeo em que o parlamentar declara todo seu apoio aos professores mesmo contra os interesses da atual gestão municipal. 

“Não estava tendo atenção do governo, acreditei que teria, mas não tive. Foram 16 requerimentos e vários projetos em beneficio da população protocolados na Câmara do início do mandato pra cá, sem que nenhum tenha sido atendido, além da perseguição que começou depois que gravei um vídeo em favor dos professores, resultando na minha exclusão do grupo de whatsapp da base do governo. Acredito que eles queriam que eu votasse contra os professores, mas declarei que não votaria de jeito nenhum o projeto que a prefeita havia enviado a Câmara e posteriormente pedido sua retirada. Portanto, resolvi deixar o grupo e me unir à oposição representada por Rogéria Martins” – Disse o vereador Jessé Tenório à redação do site Central do Sertão. 

E nessa dança das cadeiras envolvendo vereadores e suplentes que disputaram as eleições 2020, a oposição mais ganhou do que perdeu apesar da adesão dos vereadores que se aliaram ao governo após a derrota nas urnas. Confira! 

OPOSIÇÃO

 VEREADORES:

- Eraldo Pequeno\Presidente (PODE) 476 votos

- Jessé Tenório (PT) 496 votos

 SUPLENTES:

1 - Ivo do Portão (PT) 255

2 - Sandro da Saúde (PT) 160

3 - Renato Carolina (PT) 142

4 - Victor Martins (PT) 116

5 - Sandro do Sindicato (PT) 111

6 - Júnior da Lagoinha (PTB) 158

Total = 1.914 votos.

 

GOVERNO

VEREADORES:

- Normando de Maciel (PSB) 732

- Cláudio do Jirau (PP) 461

- Éssio Tenório (PP) 407

 Total = 1.600 votos