quarta-feira, 20 de março de 2019

Prefeito Eraldo Cordeiro gera polêmica ao publicar decreto estabelecendo mudanças no calendário de pagamento dos servidores públicos do município.


Prefeitura esclarece que medida é voltada apenas para os servidores comissionados e contratados.

Por: Redação
Crédito: Reprodução/D.O

Um decreto publicado pelo Prefeito Eraldo Cordeiro no último dia 13/03 tem dado o que falar entre os servidores públicos municipais de Delmiro Gouveia, isso porque, segundo o decreto, o fechamento e pagamento da folha salarial da categoria será feito até o dia 10 do mês subsequente e o pagamento do consignado até o dia 15 (quinze) de cada mês, medida considerada inconstitucional uma vez que o pagamento não pode exceder o 5º dia útil do mês subsequente ao mês trabalhado.

O que disse a prefeitura?

Procurada, a Prefeitura Municipal através da sua assessoria de comunicação esclareceu que o decreto não engloba os servidores concursados e efetivos do município, apenas os comissionados e contratados. E que a medida tem como objetivo regulamentar junto aos bancos a data de pagamento da categoria que tenham algum consignado, pois se trata da única faixa salarial do município que recebe nesta data.

Já com relação aos servidores concursados e efetivos, apesar da expectativa gerada de forma equivocada, os mesmos já estão sendo esclarecidos, afinal de contas o pagamento segue o mesmo cronograma que vem sendo executado e que prova disso será o pagamento deste mês de Março que já será pago a partir da próxima semana.


Presidente do SINTEAL (Núcleo Delmiro) ameaça processar o site por simplesmente buscar ouvir a entidade que representa os servidores.

Durante o final de semana seguinte a publicação do decreto, entramos em contato via whatsapp com o presidente do Sinteal (Núcleo Delmiro) para comentar a polêmica decisão do Prefeito Eraldo Cordeiro, porém, horas depois de visualizar a postagem e não responder, ao ser informado que a matéria seria finalizada com a informação de que o SINTEAL não comentaria o assunto, o sindicalista ameaçou processar o site o acusando de invasão de privacidade uma vez que só respondia pela entidade no horário de trabalho de segunda a sexta-feira.