sábado, 6 de junho de 2020

[Delmiro Gouveia] Em tempos de Pandemia, custo de cada vereador delmirense ultrapassa R$: 28,5 mil reais por mês, sem lockdown.

Somada todas as despesas com manutenção da Câmara, pagamento de pessoal, salários e outras garantias dos 11 parlamentares, são mais de R$: 313 mil reais que saem todos os meses do bolso do contribuinte.

Por: Redação
Crédito: Reprodução/Ascom

É! Pelo visto não repercutiu bem a proposta e consequentemente a aprovação da indicação do vereador Pedro Paulo (PT) propondo a decretação de Lockdown no município de Delmiro Gouveia no sertão de Alagoas. Pelo menos foi o que se viu nas redes sociais e grupos de whatsapp da cidade e região após a publicação de um artigo de opinião do renomado Advogado Gerd Gomes e do Cientista político Douglas Dias com o título: Um Lockdown nas verbas da Câmara de Vereadores de Delmiro Gouveia.

Ora, se os vereadores dizem que um restaurante que entrega delivery não pode funcionar, já que o lockdown não permite o transito de pessoas, ou que determinada loja que entrega em casa não pode funcionar, apenas mercados e farmácias na maioria das vezes, eles deviam agir conforme nossos sábios avós diziam “exemplo bom, deve começar em casa”. Por que não suspenderam os vencimentos de R$ 5.000,00 e doaram para as frentes de combate ao covid? Por que as verbas de gabinete de R$ 4.500,00 continuam sendo pagas se a Câmara de Vereadores está fechada?  E os 300 litros de combustível que cada vereador possui, porque foi utilizado? Por que não repassou os vencimentos de assessores, todas essas coisas durante os meses de pandemia? O silêncio que a política delmirense teve como resposta até ontem foi angustiante. Mais angustiante ainda é utilizar o medo para mudar o foco da questão: é perceptível a falta de representação política” - Diz um trecho do artigo. (Confira na Íntegra)

“Onze engravatados e um lockdown” daria um bom nome de filme. O final desse filme já é conhecido: ou será morrer a espera de uma UTI na capital alagoana ou ligando desesperadamente para um dos nobres engravatados na espera de uma ambulância”. – Finalizam os delmirenses em tom de revolta e indignação.

Pois bem, com Lockdown ou sem Lockdown, o fato é que em todo país já estamos chegando a 80 dias de Pandemia, 80 dias de num isolamento horizontal que parece não ter fim e que tem apenas retardado o contágio da COVID-19, ao tempo em que o número de casos confirmados e óbitos em decorrência do vírus se multiplicam. Todavia, as consequências dessas medidas desordenadas de contenção e prevenção, resultaram na criação de um outro vírus tão cruel quanto, afinal, as consequências ainda não estão sendo sentidas em larga escala, apesar de já ter “matado” milhares de CNPJs por todo país sem que possamos prevê quais serão as consequências sociais e psicológicas, principalmente na vida dos pequenos e micro-empresários e de tantos trabalhadores que dependiam dessas empresas para sobreviver.

Todavia, essa pandemia tem forçado a população a fazer certos sacrifícios e renúncias, principalmente à classe empresarial que em alguns casos se vê forçada a valência. Enquanto isso, os “INTOCÁVEIS” vereadores que legislaram pelo agravamento dessa crise econômica pelo qual o município atravessa, até aqui não fizeram sacrifício algum, continuam desfrutando das mesmas benesses de quando assumiram seus mandatos, quando ninguém jamais imaginou vivenciarmos dias tão terríveis. São mais de R$: 28,5 mil reais por mês que continuam saindo do bolso do contribuinte para manter cada um dos 11 vereadores do legislativo delmirense em plena Pandemia, com ou sem Lockdown, afinal, quem sempre paga a conta é o povo! E essa conta é bem salgada, haja vista que somadas todas as despesas com manutenção da Câmara, pagamento de pessoal, salários e outras garantias que todos os parlamentares desfrutam, chegamos a um total de R$: 313.798,53 (Trezentos e treze reais, setecentos e noventa e oito mil reais e cinquenta e três centavos) repassados pela Prefeitura Municipal de Delmiro Gouveia correspondente ao duodécimo constitucional.