25/05/21

[REPORTAGENS ESPECIAIS] JOSÉ DE ALENCAR - Poeta canapiense

 

DESPREZO

Esta alma que insultaste se revolta!
Em sua viuvez erma e vazia
Nem sombra guardará de tua imagem
Tanto amor que por ti ela sentia.
Não há de lhe arrancar, nem mais um canto,
Que não seja apagado por meu pranto.
Como a flor a beleza logo murcha;
A tua há de murchar em poucos anos;
Quando a ruga da face anunciar-te
Da velhice aos tristes desenganos
Quando de ti já todos esquecidos
Nem te olharem, meus versos serão lidos.
Talvez um dia o mundo caprichoso
Procure, nobre dama, algum vestígio
Da mulher que meus livros inspirava;
Não achará porém de teu fastígio,
Senão traços de lágrima perdida
Arcano d'uma dor desconhecida.
O tempo não respeita altiva fronte
A riqueza, o brasão, tudo consome.
Um dia serás pó e nada mais;
Ninguém se lembrará nem de teu nome;
Mas para que de ti reste a memória,
Mulher, no meu desprezo eu dou-te a glória.

[José de Alencar] 

 

NÃO DESISTA DE SONHAR.

 Você tem sonhos? E eu também, 

Navegar e sonhar é bem preciso,

Você perdeu alguns sonhos?

Mentalmente tá em arquivo!

Aquele que desistiu de sonhar!

Para está vivo tem motivo?

 

Sonhe com os dias melhores,

Essa tragédia invisível passará!

Sonhe com humanos humildes!

Sonhe que a empatia prevalecerá,

Sonhe com riquezas divididas,

Sonhe que o bem o mal vencerá.

 

Sonhe que Deus não faz acepção,

Acorde! Sigas os passos de Jesus,

Consciente faça logo sua parte,

Nessas densas trevas seja luz,

A lua é bela, recebe luz do sol,

Só puro amor, o amor produz.

 

Sonhe! acorde! ouças, entendas,

Que o melhor ainda está por vir!

Vamos dar as mãos e cantar!

Ouçam os trompetes estrugir!

Sejas como Daniel e José no Egito,

Exemplos para imitar e seguir.

 [José de Alencar]

Qual dos dois poemas anteriormente citados pertence ao protagonista dessa nossa homenagem? A princípio o que podemos afirmar é que ambos foram escritos por José de Alencar, que não é uma, mas duas pessoas, ou melhor, dois poetas, o nosso conterrâneo poeta canapiense e o seu xará famoso (em memória) escritor e político brasileiro, autor de inúmeras obras primas da literatura brasileira que como tantos outros grandes gênios da arte de escrever, obteve o devido reconhecimento somente após a morte em 12/12/1887, ao contrário do nosso poeta conterrâneo, o qual venho através desta singela reportagem, render minhas mais sinceras homenagens em reconhecimento a obra deste grande poeta canapiense eternizadas em versos e verdades que impactam na consciência cidadã daqueles que tem o prazer de refletir sobre suas inquietações. 

CAMA CURTA. 

Por falta de grito se perde uma boiada!

A cama fica curta e o cobertor estreito,

Sem bom ferrão o boi ele não anda!

Cambão, peia curta, terá grande efeito.

 

Assim na terra, seja como no céu,

Uma afirmação enfática de Jesus,

A voz do povo será a voz de Deus?

Querem a moleza, e não querem a cruz.

 

Desde, que o Brasil foi descoberto,

O índio pagou caro, hoje paga também,

Melhor seria que fosse coberto,

O Brasil de milhões, parece de ninguém.

 

Uma parte do povo quer mudança,

Outra parte estreita a cama e o cobertor!

Regimes, sistemas, uns gostam!

A miséria cresce e aumenta o terror.

 

Assim na terra, seja como no céu!

Os protagonistas estão enrrolados

Muitos da terra querem ir pro céu!

Pelo o que fazem tão credenciados?

 [José de Alencar]

Todavia, o nosso protagonista nem sempre foi amante da escrita e dos versos, talvez por falta de tempo, afinal de contas, o trabalho, a política, a igreja e a constituição familiar, por muitos anos manteve adormecido aquele que se revelaria um dos melhores poetas ainda vivo e muito ativo nas redes sociais, porém de obras ainda desconhecidas da maioria dos leitores do sertão alagoano, que infelizmente ainda não tiveram a satisfação de ter em suas mãos o tão aguardado livro(s) que o poeta canapiense José de Alencar pretende publicar. 

Nascido em 25/05/1955 no sítio Barro Branco em Canapi no alto sertão de Alagoas, aos 25 anos, mais precisamente em 22/05/1980 José de Alencar casou com Severina Maria Lima de Alencar, popular “Marinhinha” e teve duas filhas: a Professora Betsabéia e a Servidora Pública Bacharel em Serviço Social Valéria Alencar, as quais lhe deram 03 netos, dois meninos Shaul Augusto de 11 anos e Shimon Augusto de 07 e a pequena Maria Alice de apenas 02 aninhos. 


O TRABALHO 

Funcionário da CASAL – (Companhia de Abastecimento e Saneamento de Alagoas), responsável pela unidade local em Canapi, por sempre primar pelo correto em seu ambiente de trabalho e tendo que conviver com os frequentes problemas de abastecimento da companhia, José de Alencar colecionou muita animosidade entre alguns consumidores canapienses que por mais que explicasse os motivos das falhas no abastecimento regular pela estatal, era sempre criticado. Por outro lado, também existiam consumidores que sabiam reconhecer suas qualidades e o trabalho bem feito que sempre prestou a comunidade, tanto é que trabalhou por longos 30 anos na companhia até se aposentar. 

O FUTEBOL 

Palmeirense, José de Alencar como “todo e bom perna de pau” na juventude foi técnico e dono do time, afinal de contas, o técnico é quase sempre aquele cara que mal sabe chutar uma bola, mas entende tudo de futebol e principalmente como os outros devem jogar (...rsrsr). Pois bem, esse era José de Alencar o Técnico e dono do Mucuri Futebol Clube, um dos maiores times de futebol amador que Canapi já teve e que junto com o LAIF outro time canapiense de tradição da época protagonizavam o maior clássico do futebol canapiense nos anos 80. 

A POLÍTICA 

Sempre presente nos bastidores da política canapiense, em 1988, José de Alencar resolve se candidatar a vereador, porém, apesar da expressiva votação (120 votos) a considerar o reduzido eleitorado da época, não conseguiu se eleger, como também, por motivos particulares, nunca mais voltou a disputar nenhum cargo público. Porém, engana-se que nosso poeta desistiu da política e muito menos a “demonizou”, muito pelo contrário, continuou participando ativamente do processo eleitoral, só que desta vez, na condição de eleitor e correligionário daqueles que entendia ser o melhor representante para com os interesses da coletividade, muito embora, em muitas oportunidades hoje reconheça que errou em algumas escolhas e conchavos políticos.

UMA NOVA ABORDAGEM

Eu andei com politiqueiros,

Eu pratiquei a politicagem,

Eu hoje sou um sexagenário,

Com uma nova abordagem!

Novo ideal, nova tendência!

Sabedoria, muita experiência,

Levando nova mensagem.

[José de Alencar]

A IGREJA 

Católico por vários anos, José de Alencar se converteu a religião evangélica e foi um dos fundadores da 1º Igreja Batista de Canapi em Outubro de 1986, onde congrega até hoje. Crente fervoroso, daqueles que tem sede de pregar a palavra de Deus conforme sua interpretação, conhecimento e inspiração divina, foi o criador do Programa radiofônico “Jesus a Verdade que Liberta” transmitido pela antiga Rádio Canapi-FM. Um programa de uma audiência espetacular, inclusive entre os não-evangélicos que ficavam impactados com a forma na qual José de Alencar conduzia o programa e a clareza na qual recitava os capítulos e versículos da bíblia para melhor entendimento dos ouvintes da rádio. Todavia, como sempre acontece com quem prega a verdade que muitos não querem ouvir, José de Alencar também foi alvo de animosidade dentro da própria igreja chegando a desenvolver por duas vezes um quadro de depressão muito forte, ocasionado por uma série de fatores emocionais desenvolvido dentro e fora da igreja. Mas Deus é mesmo tremendo e nas duas vezes em que José de Alencar parecia não mais se levantar, ele se levantou! E levantou cada vez mais forte e determinado a “incomodar”, incomodar com suas verdades desta vez em versos e prosas. E quando muitos achavam que as “pedras em seu caminho” era motivo para abandonar a igreja, José de Alencar juntou todas as pedras e delas se fez ROCHA. E apesar de todos os problemas e desafios se manteve e se mantém firme e forte em sua fé.

 MÁS CONVERSAÇÔES!

Sabemos que as más conversões,

Elas corrompem os bons costumes,

Coração cheio de 'Salomé, e de belial'

Da boca sai o pótrido, o puro estrume.

Mente cheia da terrível sodomia!

Não se alimentam de santo legume,

Esquecem que Deus lhe deu a vida,

E não exalam o bom santo perfume.

A luz santa está em seu derredor!

Mais sentem-se bem no negrume!

O deus desse.mundo cegou alguns!

Que se amparam em falsos tapumes.

O homem feito a imagem de Deus!

Preferiu a negritude do betume!

Se eles não se arrependerem!

De causa e efeito não são imunes.

Deus ainda está a porta batendo!

Tirem logo do ouvido o cerume!

Volte logo correndo para Jesus!

Deus por você sente muito ciúmes.

 1°Corintios 15:33.

[José de Alencar]

RENASCIMENTO 

Se José de Alencar venceu por duas vezes a depressão e isso por si só poderíamos reconhecer como um RENASCIMENTO DUPLO, o que dizer então de quem após 25 dias de internação em um leito de UTI lutando pela vida conseguiu vencer a Covid-19? Pois é, esse é JOSÉ DE ALENCAR, o homem que RENASCEU aos 65 anos e que exatamente neste dia de hoje, (25 de Maio) completa 66 anos, agora imunizado pela 2ª dose da vacina contra o coronavírus. 

Filho de Sezina Alencar Ribeiro (em memória) e Dalmo Ribeiro Neto de 92 anos, lenda viva da história do sertão alagoano. José de Alencar é a personificação em vida de parte da história de Canapi e que pelas suas obras, mesmo quando chegar o dia de partir, será lembrado por toda eternidade. E quando falo em obra, não me restrinjo apenas as obras literárias, mas principalmente as obras de amor pelo próximo que assim como todo e bom Cristão de grande coração, sempre fez e continua fazendo sem almejar nada em troca. 


Feliz  aniversário meu amigo/irmão!
Flores em vida!
Que Deus continue cobrindo de bençãos a sua vida!

Uma homenagem do seu amigo de hoje e de sempre...
Marcio Martins