27/03/21

[VÍDEO] Professora se diz indignada e faz desabafo após fala do Secretário de Educação de Água Branca sobre substituição do adicional difícil acesso.

Em resposta, Secretário reafirmou o que disse ao site Central do Sertão e lamentou que a educadora não tenha procurado a secretaria para os devidos esclarecimentos.

Por: Redação/Marcio Martins 

E a polêmica decisão do prefeito José Carlos de substituir o adicional difícil acesso dos profissionais de educação de Água Branca por transporte coletivo, continua dando o que falar. Após o sindicato da categoria anunciar a preparação de um abaixo-assinado contra a medida, e de vir a público a justificativa da gestão municipal através do Secretário de Educação Odir Siqueira, a Professora Maria Regilan da Silva entrou em contato com a redação do site Central do Sertão solicitando direito de resposta ao que classificou de “INJUSTIÇA” cometida na fala do secretário ao justificar os motivos que levaram a atual administração municipal a tomar a polêmica decisão (relembre aqui). 

“Fico indignada quando vejo uma coisa errada, eu não aceito nada errado, principalmente quando se trata de saúde. Para mim a saúde sempre tem que está em primeiro lugar” – Desabafou a educadora em vídeo, ao tempo em que fez vários questionamentos ao Secretário Odir Siqueira, tais como: A alegação da falta de recursos ao tempo em que gestão contrata coordenadores pedagógicos que poderiam ser nomeados do quadro efetivo; sobre a segurança dos servidores contra a Covid-19 em transportes coletivos; e pela gestão não ter, segundo ela, pensado nos professores que como no seu caso, continuarão indo trabalhar em seus próprios veículos ao retorno das aulas presenciais. “Agora a gente vai ter que pagar para trabalhar, é isso?” – Indagou à educadora. 

Confira o vídeo na íntegra!


Ciente dos questionamentos da colega professora, o secretário Odir Siqueira que também é professor efetivo da rede municipal de ensino, reafirmou o que disse ao Jornalista Marcio Martins na última quinta-feira (25)... “Repito! Não retirando nenhum direito da categoria, uma vez que o transporte coletivo está previsto no Art. 30 do Plano de Carreira da Educação; que as recentes quedas no valor do custo/aluno e nas matrículas da rede municipal de ensino obrigaram a gestão a tomar medidas de contenção de gastos e ajustes nas contas públicas, de modo a garantir o pagamento salarial dos servidores em dia; e que os veículos contratados pela prefeitura atenderão todos os protocolos de prevenção a Covid-19”.  

O Secretário também lamentou o fato da professora não ter procurado a secretaria para os devidos esclarecimentos, já que segundo ele, está sempre de portas abertas. E em resposta a contratação da coordenadora pedagógica mencionada pela educadora, Odir Siqueira afirmou que a secretaria sempre faz convite aos professores do quadro efetivo, porém não há interesse da classe, tendo em vista que a gratificação é muito baixa, e que ele, reconhece isso.