11/06/22

Após um “chá de cadeira” de quase três horas, Secretário de Educação de Manari mantem proposta de reajuste salarial para os professores abaixo do piso nacional e sem retroativo.

 

Gestão municipal enviará para a Câmara, projeto com apenas 20% de reajuste agora em Junho e 13,24% somente em Dezembro sem pagamento retroativo. Categoria vem lutando há meses pelos 33,24% autorizado pelo Governo Federal desde Janeiro. 

Por: Redação\Marcio Martins

Professores do município de Manari\PE voltaram a ocupar o prédio da Prefeitura Municipal nesta sexta-feira (10) em reivindicação pelo cumprimento do Piso Salarial Nacional do Magistério autorizado pelo Governo Federal desde Janeiro do corrente ano (2022) em 33,24%, mas, que, porém, a gestão municipal tem proposto um percentual bem abaixo e sem pagamento retroativo. 


E como se já não bastasse o descumprimento do reajuste nacional e todos esses meses de angustias e incertezas vividas pelos educadores manarienses, a gestão municipal demonstrou na manhã desta sexta-feira (10) todo o seu desprezo para com seus educadores da rede municipal de ensino após um “chá de cadeira” de quase três horas na sede da Prefeitura onde estava agendada uma reunião do SINDUPROM\PE e de uma comissão de professores com o Secretário Municipal de Educação, e o pior de tudo! Toda essa demora para dizer a Prefeitura manteria a proposta de apenas 20% de reajuste agora em Junho e 13,24% somente em Dezembro, sem pagamento retroativo. E mais, que o Projeto de Lei provavelmente seria enviado já na próxima terça-feira (14) para a Câmara Municipal de Vereadores, apesar, que, ainda ficou acordado com a gestão, junto ao Secretário Municipal de Educação, que até lá, o município daria uma posição sobre o pagamento do retroativo de 13,24% proposto pela gestão para Dezembro, ficando agendada também, uma Assembleia Geral do SINDUPROM\PE com a categoria de professores a fim de deliberar acerca dos assuntos tratados e do posicionamento da gestão municipal.


Já por volta das 13h quando finalmente findou a reunião, os professores se dirigiram até a Câmara de Vereadores onde de reuniram em Assembleia e consequentemente foram informados sobre tudo o que foi tratado na reunião. 


“A gestão alega que o município não tem condições financeiras de pagar o reajuste de 33,24% e realmente não tem! Porém, não tem por uma série de irregularidades encontrada na folha de pagamento, daí a necessidade de sermos fiscais das contas públicas” – Disse Dinalva Lima - Coordenadora Geral do SINDUPROM\PE. 

“Hoje em Manari está muito melhor para quem não está em sala de aula do que para quem está. Os professores de Manari não tem nenhum adicional de incentivo à permanência em sala de aula” – Lamentou.