22/06/22

“PL DA MORTE” é aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores de Tupanatinga\PE e professores aposentados e pensionistas terão que voltar a pagar 14% de previdência.

 

Com um rombo milionário de gestões passadas parcelado e não pago, há 20 anos sem realizar concurso e um débito de R$: 02 milhões de reais da atual gestão municipal, literalmente, o “pau quebrou nas costas dos mais fracos e desvalorizados”. Apenas os servidores que recebem abaixo de 1,5 salários ficaram isentos da retirada. 

Por: Redação\Marcio Martins 

Depois de perder a luta pelo reajuste salarial do piso nacional do magistério de 33,24% sem perder o adicional de magistério de 40% em seus salários, os professores do município de Tupanatinga\PE perderam mais uma batalha, novamente com a aprovação da Câmara Municipal de Vereadores que em Sessão Extraordinária realizada na tarde desta quarta-feira (22) aprovaram a chamada “PL DA MORTE” obrigando servidores aposentados e pensionistas a voltar a pagar 14% ao IPRETU – Instituto de Previdência de Tupanatinga. A aprovação por unanimidade entre os 10 dos 11 vereadores presentes (a exceção dos vereador do Arthur Junior, ausente), ocorre no momento em que o município contabiliza um rombo milionário de gestões passadas parcelado e não pago, se encontra há 20 anos sem realizar concurso e com um débito de R$: 02 milhões de reais da atual gestão municipal que não atualizou a alíquota patronal de 17 para 26%. 

Apesar da penalização imposta aos aposentados e pensionistas, alguns vereadores comemoraram a aprovação do PL, classificando como ato de GRANDEZA e SENSIBILIDADE a aprovação de uma emenda modificadora que aumentou o valor de isenção salarial do projeto para os servidores que recebem abaixo de 01 (um) salário mínimo para 01 (um) salário mínimo e meio, bem como o valor de carência que garante aos servidores aposentados e pensionistas o desconto previdenciário no que exceder 1,5 salários. 

Todavia, de todo modo, os maiores prejudicados com a aprovação do projeto, foram os professores, afinal de contas, atualmente nenhum professor recebe abaixo de 1,5 salários. Nem mesmo os educadores portadores de doença incapacitante foram poupados, ao contrário do município vizinho de Itaíba que por pressão do sindicato, dos vereadores de oposição, do diretor legislativo e do presidente da Câmara, o “PL DA MORTE” acabou sendo devolvido ao Poder Executivo a pedido da própria gestora.  

http://www.centraldosertao.com.br/2022/06/pl-da-morte-prefeita-de-itaiba-queria.html

Já no Estado vizinho de Alagoas, os servidores aposentados e pensionistas também foram obrigados a voltar a pagar os 14% de contribuição previdenciária, contudo, ainda com a Previdência Estadual com um déficit atuarial de R$: 1,2 Bilhões de reais, o Governador aboliu o desconto, além disso, já tramita na Assembleia Legislativa Estadual um requerimento para que o Estado devolva o que foi descontado dos aposentados e pensionistas.