10/12/21

Polícia Federal cumpre mandados em operação contra pornografia infantil em Pariconha e outros três municípios de Alagoas.

PF investiga grupos de aplicativos de mensagens criados para difusão e compartilhamento de conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. 

Por: Redação com Ascom/PF

A Polícia Federal (PF) em Alagoas deflagrou nesta sexta-feira (10) uma operação de combate à disseminação de vídeos de conteúdo pornográfico envolvendo menores de idade. Ninguém foi preso.

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Maceió, Rio Largo, Igaci e Pariconha.

A Operação, denonimada Labatut, tem investigado quatro pessoas envolvidas na disseminação de conteúdo pornográfico infantil. Dois suspeitos são suspeitos participar de grupos de aplicativos de mensagens criados para a difusão, compartilhamento e possível produção de vídeos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes.

Uma pessoa é investigada por utilizar programas de compartilhamento para baixar e compartilhar arquivos de pornografia infantil, e outro indivíduo é suspeito de utilizar as redes sociais para compartilhar arquivos de pornografia infantil e assediar sexualmente menores, solicitando o envio de “nudes”.

Durante as buscas, policiais federais apreenderam HDs de computadores, notebooks, pen drives e smartphones que serão periciados pela Polícia Federal. Os resultados das análises dos materiais apreendidos serão juntados aos inquéritos policiais que apuram crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Caso seja confirmada a posse e o compartilhamento de imagens contendo pornografia infantil, os investigados poderão responder pelos crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As penas somadas para esses crimes podem chegar a até 10 anos de prisão. E caso seja identificada a produção de vídeos pornográficos envolvendo menores de idade, o responsável será indiciado também no crime de estupro de vulnerável cuja pena máxima varia entre 15 e 30 anos de prisão.