18/05/22

[VITÓRIA DOS PROFESSORES!] Após intensa pressão e casa cheia na Câmara, Prefeito de Inajá\PE altera proposta de reajuste de 20% para 33,24% e mantem adicional de magistério.

 

 “Professores cortaram na carne” - Projeto deve ir à votação na Câmara de Vereadores em sessão extraordinária na próxima sexta-feira (20). 

Por: Redação\Marcio Martins 

Desde o dia que o prefeito de Inajá\PE, Marcelo de Alberto (PSD) anunciou em suas redes sociais que concederia o reajuste de 33,24% do Piso Salarial Nacional aos professores da rede municipal de ensino e não cumpriu com a palavra, os educadores inajaenses se mobilizaram pelo cumprimento do piso. Várias foram às ações reivindicatórias promovidas pela categoria e pelo sindicato, desde ação junto ao Ministério Público, encontros, reuniões, entrevista na rádio local, cobranças nas redes sociais e por último, a realização de uma Assembleia Geral ocorrida na manhã desta quarta-feira (18) na Câmara Municipal de Vereadores, onde os representantes do sindicato da categoria, Professor Francisco e Professora Paula, puderam expor o porquê a proposta da gestão municipal de conceder um reajuste salarial de apenas 20% somado aos 20% da incorporação do adicional de magistério ao salário dos educadores, era prejudicial para a categoria.

Para o sindicato, a proposta da gestão retirava direitos conquistados há mais de 30 anos, uma vez que a incorporação acabaria com a gratificação de 20% do magistério, e a proposta de 40% de reajuste na prática se resumiria a apenas 20%, ou seja, 13,24% abaixo do percentual de reajuste do Piso Salarial Nacional de 33,24%. 

Contando com o apoio dos vereadores, o sindicato apresentou durante a assembleia uma proposta de alteração no Projeto de Lei do Poder Executivo Municipal solicitando a retirada do artigo 3º da PL que tratava da incorporação do adicional de magistério, proposta essa, aprovada por unanimidade entre os professores presentes, de modo a ser encaminhada aos vereadores para que fosse colocada em votação. 

Tentando entender melhor todo o imbróglio criado pela gestão municipal, o Jornalista Marcio Martins que acompanhou a Assembleia Geral dos Professores Inajaenses, também se dirigiu até a Prefeitura Municipal onde na oportunidade se reuniu com a Secretária de Educação e o setor jurídico e de contabilidade do município, que alegaram não poder ir além dos 20% mais a incorporação do adicional de magistério ao salário dos educadores, uma vez que o município já estaria comprometendo 84% da receita total do Fundeb e que se não fizesse a incorporação, reajustando em 33,24% o salário dos professores, esse percentual saltaria para 94%, restando apenas 6% para as despesas com a manutenção e infraestrutura de ensino, apesar que, de acordo com o sindicato, o município poderia cortar nas altas gratificações dos cargos comissionados da educação.  

Enquanto os professores lutavam por seus direitos, alguns “bajuladores” de político chegaram a fazer chacota da categoria nas redes sociais, desmerecendo o direito dos seus conterrâneos professores ao reajuste de 33,24%, mas, “quebraram a cara”, e nesta sexta-feira (18) quem “cortou na carne” foram os professores. 

A intensa pressão de manhã e a lotação do plenário da Câmara a noite durante mais uma sessão ordinária do Poder Legislativo Municipal, foi fundamental para que a Prefeitura voltasse atrás e retirasse o projeto em tramitação na Câmara se comprometendo a enviar um novo PL desta vez mantendo o adicional de magistério e concedendo os 33,24% pelos quais os educadores inajaenses lutaram desde o mês de Janeiro quando o Governo Federal autorizou o reajuste nacional.

Mas, como em toda negociação cada lado tem que ceder em alguma coisa, a categoria acabou cedendo o direito ao pagamento retroativo do piso de Janeiro a Abril. Agora o Novo Projeto deve ir à votação na Câmara de Vereadores em sessão extraordinária na próxima sexta-feira (20) para que ainda este mês de Maio todos os professores da rede municipal de ensino já recebam com o reajuste.