31/05/22

Professores de Manarí\PE paralisam atividades nesta quarta-feira (01) em protesto pelo reajuste salarial de 33,24% do Piso Salarial Nacional.

 

Gestão municipal propôs apenas 16,62% de reajuste sem retroativo e com complementação somente em Dezembro. Categoria rejeitou e sindicato apresentou contraproposta de 33,24% com pagamento retroativo a Janeiro pago de Julho a Novembro.

Por: Redação 

Desde o dia que o Presidente da República Jair Messias Bolsonaro autorizou o reajuste de 33,24% sobre o Piso Salarial Nacional do Magistério a partir de Janeiro deste ano (2022), professores de todo o Brasil vivem a expectativa de recompor um pouco do que perderam em seus vencimentos durante o congelamento de salários na pandemia. Todavia, para a tristeza de muitos educadores; governadores e prefeitos têm se colocado contra o reajuste nacional propondo percentuais bem abaixo do reajuste nacional, este é o caso do prefeito Audalio Martins da Silva Junior do município de Manari no sertão do Estado de Pernambuco que no dia 25 de Maio do corrente ano (2022) encaminhou um ofício a comissão do Sindicato dos Professores (SINDUPROM\PE) propondo um reajuste de apenas 16,62% sem retroativo e com complementação somente em Dezembro, pois de acordo com a gestão, o reajuste de 33,24% comprometeria todos os recursos do Fundeb somente com despesas de pessoal, muito embora não tenha apresentado nenhum estudo orçamentário evidenciando tal justificativa. 

Vale ressaltar que para garantir o reajuste do piso salarial nacional aos professores, o MEC\ME publicou a Portaria de Nº 11 estabelecendo os parâmetros referenciais anuais do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - Fundeb para o exercício de 2022 nas modalidades Valor Anual por Aluno - VAAF e Valor Anual Total por Aluno - VAAT. Em resumo, o presidente Jair Bolsonaro só autorizou o reajuste de 33,24% sobre o Piso Salarial Nacional do Magistério, porque já tinha a garantia do MEC que estados e municípios receberiam os recursos necessários.  

Diante da proposta apresentada pela gestão municipal para reajuste de 16,62% nos salários dos professores manarienses, a categoria rejeitou a proposta e através do sindicato (SINDUPROM\PE), protocolou nesta terça-feira (31) uma contraproposta de 33,24% com pagamento retroativo a Janeiro pago de Julho a Novembro, ao tempo em que convocou para esta quarta-feira (01\06) uma paralização geral das atividades pedagógicas, somado a um ato público a partir das 8h em frente à Prefeitura Municipal com a seguinte pauta: Pagamento do reajuste do piso salarial; melhoria nas condições de trabalho da categoria com disponibilidade de material didático suficiente; fardamento e merenda escolar de qualidade para os estudantes, entre outras reinvindicações. 

Vale destacar, que o Prefeito Audálio Martins além de insistir na desvalorização dos professores do município que administra, vem descumprindo uma recomendação do Ministério Público do Estado de Pernambuco pelo cumprimento do Piso Salarial Nacional do Magistério tanto em Manarí quanto no município vizinho de Inajá, onde recentemente a Câmara Municipal de Vereadores aprovou o Projeto de Lei de autoria do Prefeito Marcelo de Alberto que reajustou em 33,24% o salário dos educadores inajaenses.