PREFEITURA DE INHAPI

terça-feira, 20 de maio de 2014

Alunos da EJA realizam campanha de combate à violência sexual contra crianças e adolescentes.

A Escola Municipal Senador Rui Palmeira realiza passeata pelas ruas da cidade com faixas e cartazes apoiando a campanha de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.
Por: Redação
Creditos: Central do Sertão 

“Lembrar é combater. Esquecer é permitir”. Esse foi o lema que motivou alunos da Escola Senador Rui Palmeira, na cidade de Inhapi a realizarem, nesta semana uma passeata pelas ruas da cidade com o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Segundo a coordenadora da escola, Elis Lidiane Villar, a atividade fechou o trabalho que a escola realiza com os seus alunos desde segunda-feira. “a escola escolheu essa semana para trabalhar com os alunos a problemática da violência sexual contra crianças e adolescentes”, explicou Lidiane Villar.

O trabalho da escola Senador Rui Palmeira integra as ações que acontecem em todo o país ao longo dessa semana em promoção do dia 18 de maio, Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

Durante a semana do projeto, os alunos produziram trabalhos e receberam dos professores informações de como identificar atos que configurem abuso e exploração sexual e os canais disponíveis para denunciar esse tipo de violência.

“Esse é um tema muito importante, e a escola tem que se envolver cada vez mais, porque, infelizmente, é um problema que pode fazer parte da realidade de muitas das nossas crianças, como ouvimos em alguns relatos”, comentou a professora Clécia Souza.

A escola Senador Rui Palmeira, localizada no Povoado Promissão atende a alunos da Educação de Jovens e Adultos em uma extensão na Escola Luiz Celso Malta Brandão na cidade de Inhapi, no turno noturno.

18 de Maio

A escolha da data é uma lembrança a toda a sociedade brasileira sobre a menina sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, quando foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba.

Em 2000, um projeto de lei de autoria da então deputada Rita Camata (PMDB/ES), presidente da Frente Parlamentar pela Criança e Adolescente do Congresso Nacional, foi transformado em lei (9.970), instituindo “o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil”.

Desde então, a sociedade civil em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promovem atividades em todo o país para conscientizar a sociedade e as autoridades sobre a gravidade da violência sexual.


Um comentário:

  1. Parabéns a toda equipe da EJA em conjuntos com os alunos que fizeram essa passeata tão bonita!!!!

    ResponderExcluir